Santana e Quantum 2000 Mi



 

O Santana e a Quantum 2000 Mi foram excelentes propostas com um ótimo custo/benefício. Equipados do motor AP-2000 que gerava 112,3 cavalos na versão a gasolina e 117,6 cavalos na versão a álcool, transmitiam um excelente desempenho, favorecidos pelo seu peso/potência: 1090 kg para o Santana e 1130kg para a Quantum, proporcionando acelerações mais fortes que as versões Evidence e Exclusiv.

Com rodas de aço 185/65 R14 e supercalotas idênticas às usadas no Santana e Quantum 1.8, vinham também com vidros verdes, pára-brisa degradê e brake-light no vidro traseiro nas duas versões. Quase não havia diferença entre os modelos 1.8 e 2000Mi, exceto na tampa traseira com a identificação 2000 Mi. Na lateral, um friso muito simples, sem pintura e, como em todas as Quantums, o seu bagageiro era de série.

Internamente, eram equipados de um painel simples, com velocímetro, relógio analógico e medidores de temperatura e combustível. O conta-giros estava ausente, mesmo utilizando motor 2000. Direção hidráulica progressiva era de série, transmitindo mais segurança e conforto ao motorista, que também tinha à sua disposição regulagem de altura, mas somente para o seu banco. Vinha com a mesma preparação para som da versão 1.8 Mi.
 


 
Opcionalmente, os dois modelos poderiam vir com ar condicionado, trio elétrico, alarme integrado à trava, rádio toca-fitas, coluna de direção regulável e rodas de liga-leve (alguns modelos ainda utilizavam as mesmas rodas do Santana GLi 1996).

Sem dúvidas, uma boa alternativa na época, com seu desempenho e um consumo urbano acima da média. Um Santana 2000 Mi com ar-condicionado, travas elétricas e pintura perolizada podia ser comprado com R$ 21.500,00, enquanto que a Quantum podia ir para a sua garagem por um valor aproximado de R$ 22.500,00.

 

 

© Santana Fahrer Club 2003-2006. Todos os direitos reservados.