O melhor carro do Brasil

Texto de Taxi Driver
Imagens:
divulgação
Data:
1º de março de 2004

Em tempos de crise econômica, combustível impagável, renda baixando e postos de trabalho diminuindo não basta apenas ter um carro, é preciso ter um carro que possa ser usado diariamente (carro altamente conversível para GNV), tenha seguro barato, dê poucas despesas mecânicas e que para isso o consumidor não precise abrir mão de um motor decente, espaço interno e acessórios de conforto.
 

Um carro bem conceituado na Europa pode se tornar uma bomba aqui na colônia. Vide o Golf, um belo carro que é fortuna na hora da compra, na hora de pagar o seguro e também na hora de pagar pela manutenção.

Colônia é colônia! Coloniador é coloniador.

Hoje em dia o grande vilão mesmo é o preço do combustível e quem quer economizar tem duas opções:

1 - Compra um carro 1.0, usa somente nos finais de semana e vai trabalhar durante a semana usando o precário transporte público brasileiro. Carros com pouca cilindrada são econômicos mas o custo do combustível é tão alto que a economia apresentada por eles só é sentida se o proprietário rodar pouco. A conversão para GNV é possível mas nem um pouco recomendada. A potência dos motores 1.0 é suficiente apenas para colocá-los em andamento e o kit GNV irá roubar esse já quase inexistente fôlego. Claro, é possível desligar o GNV em um botão no painel quando for necessário executar uma ultrapassagem ou fazer alguma subida. Mas que lixo é esse? Se já não bastam os pedais, a alavanca de marchas, o volante, o motorista ganha de presente um novo apetrecho para manusear enquanto dirige?


2 - Compra um carro de verdade, com motor de verdade, mais velho que o 1.0 zero pretendido, converte para GNV e usa diariamente, inclusive para ir trabalhar. Vai ficar com um carro mais velho mas em compensação não vai usar o desconfortável e ineficiente transporte público.

Na minha opinião, um carro pronto para crise, o verdadeiro carro brasileiro, deveria reunir todas as qualidades abaixo:

* Motor potente, robusto, com manutenção fácil e barata, altamente conversível para GNV (o verdadeiro combustível brasileiro) e que ainda gaste pouco combustível;

* Seguro barato ou pelo menos justo e pagável;

* Espaço interno suficiente para uma família e sua bagagem;

* O trio básico de conforto (ar, dh, trio elétrico)

Diante dessas exigências, vocês diriam na mesma hora: "Esse cara é um lunático, um carro desses não existe!"

Existe sim, meus caros amigos!

O melhor carro do Brasil é nada mais nada menos que um velho conhecido de todos! O preferido de 10 entre 10 taxistas! Sim, é ele mesmo! O veterano Santana!

Vejamos:

* Seu motor é o espetacular e brasileiríssimo AP 2000. Tecnologia e fabricação 100% nacionais garantem uma manutenção pouco requisitada, barata e fácil. Qualquer mecânico de fundo de quintal conhece essa relíquia nacional. Experimentem levar seus Palios 1.0 com motores italianos para consertar e saberão do que estou falando! E mesmo o Santana sendo um carro grandalhão e pesado, o motor VW 2.0 apresenta marcas de consumo de combustível idênticas a de carros médios bem mais leves. Além de todas essas vantagens, esse motor ainda é potente e tido como o melhor para ser convertido para GNV. Pronto! AP 2000 + kit GNV é o conjunto que garantirá uma enorme economia no custo do quilômetro rodado para quem deseja usar um carro diariamente e não só nos finais de semana como estamos vendo com o populares 1.0.

* O seguro do Santana é um dos mais justos e pagáveis do Brasil. Seu custo é menor que de carros como Golf, Vectra, Marea, Tempra (que nem mais é fabricado) e até que o do Gol, carro considerado popular.

* Apresenta um espaço interno considerável, um porta malas excelente e, claro, um belo kit de conforto: ar, direção e trio elétrico, na minha opinião os acessórios que realmente valem a pena.

* É muito fácil encontrar nas ruas aqueles velhos Santanas quadrados da década de 80, carros com mais de 15 anos de estrada ainda funcionando perfeitamente. É a durabilidade do velho AP 2000.

* A VW tentou substituir o Santana pelo Passat, um projeto muito mais recente e moderno mas que não tinha características de carro brasileiro, e todos sabem o que aconteceu. Não deu certo.

* A Quatro Rodas de Maio entrevistou o presidente da VW e ele foi enfático ao afirmar que o Santana não sai de linha tão cedo pois a VW não quer e nem tem como projetar um substituto que apresente tantas qualidades.

Depois dessas palavras vão aparecer vários dizendo que o Santana tem projeto antigo e ultrapassado, que são carros de taxista etc, etc, etc... Para esses, só digo uma coisa: continuem comprando seus Vectras, Mareas e Golfs com seguros absurdos e manutenção impagável ou seus carrinhos 1.0 moderninhos mas que só podem ser usados nos finais de semana. Eu vou de Santana, e com certeza serei feliz!

 

 

© Santana Fahrer Club 2003-2006. Todos os direitos reservados.